A Criatividade como matéria prima

O uso e o desuso da criatividade, alterando os conceitos de produção

Cada vez mais boas ideias tornam-se matéria prima de grandes empreendimento, mas nem sempre essas ideias foram bem recebidas. Como saber gerenciar boas e más ideias? E quão importante é não descartar nenhuma delas?

Sempre seremos questionados a respeito de nossa produção. Os designers gráfico são sempre ‘ vítimas ‘ das novas criações do nosso meio. De maneira que são essas criações que nos proporcionam crescimento profissional, e se não fossem elas não estaríamos sempre nos reciclando. Acredito que essas transformações constantes no nosso perfil de trabalho seja a melhor relação de mutualismo no mercado profissional. Isto pois quando nos sentimos ameaçados pela criatividade de um colega/agência que se destaca em seu trabalho, damos logo um jeito de também inovar. E é assim que gira essa roda. Cada um inovando como pode e todos inovando sempre. Se não fosse assim, seríamos advogados. ( Nada contra a profissão ).

Quão importante é inovar?

Assim como os comerciantes sentem a necessidade de alterar a organização de suas prateleiras para chamar a atenção dos clientes, assim como os feirantes gritam e soltam anedotas, assim como as empresas investem em comerciais, assim também é o ambiente  de trabalho dos profissionais da criatividade. Que necessitam da inovação para chamar a atenção dos seus clientes, e consequentemente atrair os clientes dos clientes. É uma via de duas mãos, mas com um único sentido. É como se desenvolvêssemos o material para nosso cliente, e esse material fosse usado com os clientes do cliente que usará esse mesmo material para os outros cliente de terceiros clientes. O material proposto deve sempre ser amplo e arrojado para que todos que tenham acesso se sintam a vontade com o discurso.

E quando o sujeito inova, ele trata da matéria-prima dele, a criatividade, como prioridade em usa ação. É sempre fundamental que a inovação venha acompanhada de um olhar diferente, de um diferente ponto de vista que ninguém tenha notado, ou se já notado, que seja notado de maneira inovadora. A criatividade é um campo eterno, onde vagam nele aqueles que buscam sair na frente e quando se destacam e encontram o caminho certo nunca mais voltam a cair na rotina criativa.

 

 

 

O comércio on-line

A Web como porta de entrada para o comércio.

O que antes era mito, tornou-se então verdade no Brasil. Nosso país se tornou o 5º no ranking de comércio on-line mundial.

Não é incomum vermos anúncios na TV ou impressos, folders, banners, vídeos onde é anunciado infinidades sobre um determinado produto ou tema, e o anunciante apenas informa o site para contato. É comum que essa prática tenha se estendido, afinal o Brasil é o quinto maior mercado para negócios na internet do mundo. É o que diz um relatório divulgado  pela empresa americana de investimentos Kleiner Perkins Caufield & Byers (KPCB). Na frente do Brasil, estão só os mercados chinês, americano, japonês e indiano. O relatório traz a assinatura de Mary Meeker, que é sócia da KPCB e um nome respeitado quando o assunto são negócios na internet.De acordo com o documento, o Brasil fechou 2013 com 100 milhões de internautas. O número representa um crescimento de 12% em relação ao ano anterior e indica que quase 50% da população brasileira já está conectada. O Brasil também ficou com o quarto lugar no ranking dos países que passam mais tempo por dia usando seus aparelhos eletrônicos. Na imagem abaixo, veja a lista dos dez primeiros países desta lista:

Ranking dos países que passam mais tempo usando gagdet

Em média, o brasileiro gasta fazendo isso 474 minutos do seu dia – distribuídos em 113 minutos assistindo TV, 146 no laptop ou PC, 149 no smartphone e 66 com tablets. Só na Indonésia, Filipinas e China se passa mais tempo com gadgets do que no Brasil.

Smartphones

O levantamento abordou ainda o mercado de smartphones no Brasil. Classificado como emergente, o país conta com 72 milhões de linhas conectando smartphones (segundo a Anatel, há um total de 274 milhões de linhas celulares no país). Elas atendem cerca de 36% da população. Entre os países emergentes, o Brasil só fica atrás de China e Índia nesse quesito. De 2012 para 2013, o número de smartphones no Brasil cresceu 2 milhões de unidades e a tendência de crescimento deve se manter em 2014, de acordo com a KPCB.( Matéria publicada na revista Exame. Fonte: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/brasil-e-o-quarto-maior-mercado-de-internet-aponta-estudo)

As empresas em estado de adaptação.

Empresas  de Uberlândia aumentam a procura aos meios de propaganda on-line.

Uberlândia tem, até Agosto de 2014, aproximadamente 70 empresas de comunicação e publicidade. O que é um número significante, visto um mercado competitivo como o que temos atualmente. Porém, devemos observar que além destas 70 empresas, há também as gráficas e derivados que fatiam o mercado em outros segmentos, o que nos dá uma proporção maior do tema em nossa cidade. As empresas que antes ofereciam serviços publicitários se adaptaram para oferecer serviços para o público on-line, mais diretamente para usuários de redes sociais, que tem sido o maior alvo das empresas. Um desses alvos é o público do Facebook, atualmente a maior rede social brasileira. Dona de um lucro de 3 bi de dólares por ano em anúncio publicitários, o Facebook está no centro do e-commerce brasileiro. Isto pois até empresas concorrentes a ele anunciam na rede social.

 

 

 

 

 

 

 

8 Dicas de como ‘Diagramar’ bem.

Uma produção: Arte e Ponto
Uma produção:
Arte e Ponto

Com auxílio do blog Print, seguem 8 importantes dicas para uma boa diagramação.

Dica 1: Hierarquização

Para iniciar sua diagramação é necessário organizar as informações, da mais importante para a menos, para que o consumidor leia de acordo com o critério desejado pela empresa. Esta página deve ser simples e clara, para que o cliente tenha uma leitura afável, sem se distrair ou cansar-se da sua diagramação.

Dica 2: Identidade

A empresa deve atentar-se aos padrões de identidade, uma vez que, antes que o consumidor leia sua diagramação, será a primeira impressão que passará da sua empresa a ele. Padronize os elementos que compõe seu projeto, como tipografias, cores, elementos gráficos, entre outros, para que o cliente sinta segurança na hora fazer um trabalho com a sua empresa e consiga identificá-la sem que precise olhar o logotipo, porém, diferencie títulos, subtítulos, textos e legendas, para que sejam reconhecidos facilmente pelo leitor. 

Dica 3: Fontes tipográficas

Escolha a fonte que deseja trabalhar na s

ua diagramação, mas lembre-se que ela deve ser evidente para o leitor, caso contrário levará o consumidor à troca de empresa, escolhendo outra que transmita a mensagem com clareza. Não encha sua diagramação de letras, poderá embaralhar o leitor. Se o texto for colocado sobre uma imagem, recomenda-se uma fonte regular e bold, assim passará a imagem desejada pela empresa para o cliente.

Dica 4: Cores

As cores são fundamentais para sua diagramação, combine-as e use-as a favor de sua empresa. Aconselham-se cores escuras em fundos claros, dando leveza e são percebidas positivamente. Já cores claras em fundos escuros, um texto escuro em fundos com particularidade ou uma fonte branca em um céu azul claro, por exemplo, quebram o ritmo da leitura e cansam o consumidor. 

Dica 5: Imagens

A imagem escolhida para sua diagramação, antes de tudo, deve ter qualidade e condizer com o assunto tratado no projeto. Além disso, o profissional deve saber como posicioná-la na página, algumas fotografias já contribuem para uma boa localização, como as que possuem fundos uniformes ou neutros. Já as que apresentam muitos detalhes, é recomendado a utilização de boxers embaixo dos textos, legendas ou títulos.  

Dica 6: Quantidade de texto

Não exagere nos textos, o leitor vai se cansar da sua diagramação e perder o foco na mesma. Na diagramação sobre a imagem, esta já vai possuir textos, ocupando um determinado espaço, portanto, se houver um texto muito grande, poder ser até que não caiba ou, se couber, ficará extremamente cansativo, como já dito. Apresente esse problema ao responsável pelo texto, para que ele não tenha que cortar informações.  

Dica 7: Tipos de papel

Atente-se ao tipo de papel que será impresso sua arte, pois na tela do computador parece ter uma ótima qualidade e ser nítida, no entanto, quando impresso, a resolução diminui, alterando o resultado final. 

Dica 8: Legibilidade

O item mais importante da diagramação é a legibilidade, uma vez que, se o material não estiver claro e legível, certamente o seu cliente perderá o interesse pela sua empresa. Leve em consideração o espaço onde o texto será colocado e se dará para ler perfeitamente quando impresso. Nenhum consumidor gostaria de ter que fazer esforços e ter de decifrar o que está escrito no seu trabalho, isso fará com que ele procure outra marca.  

Essas dicas são fundamentais e básicas para sua diagramação ser excelente, seguindo-as, sua empresa obterá sucesso neste trabalho.

Como postar imagens no Facebook sem perder a qualidade?

Por, Douglas Alves – Uberlandia/MG

Segue o blog para acompanhar novidades e me siga nas redes sociais também!

Geralmente, as maiores reclamações para quem é CDC ( criador de conteúdo ) de páginas do Facebook é a notável diminuição da qualidade das imagens que são postadas na timeline. Isso acontece devida a compressão que a rede social faz dos arquivos para não ” pesar ” o banco de dados. Assim, quando compressa as fotos ou imagens, temos um efeito que é indesejável, pois muitas vezes, a imagem perde toda sua atratividade e deixa de ser agradável aos olhos de quem lê.

Como podemos ver no exemplo abaixo, retirado do site indesigns.com, podemos identificar esse problema.

foto-fbfoto-depois-fb

Percebemos, que na imagem acima, depois que é postado  o arquivo tem uma quantidade de pixel menor e remete a sensação de que a imagem é fruto de um ” print mal sucedido “. É desagradável e para quem trabalhou na imagem gera um desconforto maior.

Por este motivo, vou explicar como ‘ burlar ‘ essa compressão e como a foto deve ser salva.

png24-saveSe você trabalha com Corel, Photoshop ou outro editor de imagens, geralmente você se depara com a interface acima, na hora de postar seu conteúdo. Geralmente, essa interface nos é exibida, quando optamos por exportar nosso material  em um formato diferente do que editamos ele. Por exemplo, se um vetor foi construído no Illustrator e será postado, ele deverá ser salvo em PNG. Para burlar a compressão realizada, devemos então optar sempre pela opção PNG-24, e  não se esqueça de escolher Save for Web and Device ou seja Salvar para Web . Isso fará com que sua imagem, não perca a qualidade e seu arquivo seja postado com maior fidelidade a sua proposta.