Dilma não deve ser tratada como vítima.

A, agora oficial, ex-presidente da república teve durante seus dois governos, várias falhas causadas por falta de diálogo.

Anúncios

A, agora oficial, ex-presidente da república teve durante seus dois governos, várias falhas causadas por falta de diálogo.

O governo da petista, embora com forte apoio popular, não teve sua reeleição bem recebida na Câmara dos Deputados e no Senado. Dilma teve grandes dificuldades para aprovar seus últimos projetos, vários pedidos negados e infinitas objeções dos senadores e deputados. Nunca um presidente foi tão fortemente hostilizado em sua própria casa, Dilma perdeu seus aliados, sua base governista, a capacidade de diálogo e a possibilidade de aprovar novos projetos.
Essa manobra política conhecida como Impeachment é para Dilma Rouseff um ‘tiro de misericórdia’ para que o governo da presidente não seja ainda mais desastroso. Ontem no Senado durante os discursos pró e contra o processo de admissibilidade, notei que os Senadores não tinham coerência em seus discursos. Ver Renan Calheiros presidindo a sessão que definia se Dilma Rouseff errou em sua gestão dá à sessão um tom de sarcasmo. É incoerente e ilegítimo talvez. Mas uma coisa é inegável, até o mais vermelho do Petista precisa admitir que Dilma cometeu erros, que posso separar aqui mesmo nesse artigo rápido em três pontos:
  • Econômico;
  • Administrativo e
  • Político
ADMINISTRATIVO
Assim como qualquer outro presidente, ela cometeu erros sim. E digo mais, esses erros de Dilma Rouseff seriam perdoados facilmente se uma bancada considerável ainda apoiasse o Partido dos Trabalhadores como nos vermelhos anos do governo Lula, mas um agravante se tornou o fator crucial para o afastamento da ex-presidente: a falta de diálogo.
Por ser mulher ou pela sua fama de durona, Dilma nunca ‘passou a mão’ nem em seus aliados. Suas habilidades técnicas e formais não foram o suficiente para se manter no poder, faltou maleabilidade, faltou molejo. Faltou à ela jogo de cintura. 
ECONÔMICOS
Superemos pois o argumento das pedalas. Chega! Vamos falar de fatos. Dilma convulsionou a economia antes de sua reeleição. Mas, esse fato veio antes mesmo de seu governo. Acreditem vocês ou não, foi Lula quem mexeu e remexeu para que o país  aumentasse seu PIB antes do fim de seu mandato, isso para criar um “surto temporário de felicidade” em prol da candidata à sua sucessão. Essa avaliação é creditada à João Luiz Mascolo, professor de economia do MBA do Insper, o então presidente adotou uma série de medidas de estímulo, levando o PIB (Produto Interno Bruto) a crescer 7,5%, índice comparável ao da China, em 2010. O que vem depois, uma derrocada sem precedentes.
A receita do Fracasso:
O país não aguentou manter o PIB nesse nível, os investimentos externos secaram, o apoio no congresso acabou e entramos na maior crise político-econômica da história.
POLÍTICO
Infidelidade. É o que resume esse governo de Dilma Rouseff. Foi traída por parceiros, aliados e até mesmo pela oposição que vezes a apoiava. Até mesmo quem disse que votaria contra seu processo de Impeachment votou a favor em rede nacional. Dilma não soube nomear pessoas confiáveis, diga-se pelo seu próprio vice, que vez ou outra mostrava as suas intenções em notas, cartas, posts e áudios de Whatsapp (sic).
Por fim, eu pessoalmente declaro que apoio o fim do governo Dilma. Não por não apoiá-la, mas por não suportar mais o escárnio que sofre essa presidenta eleita pelo voto de milhões de brasileiros . Querem destituir o seu governo de qualquer maneira, desde sua reeleição. Eu apoio esse Impeachment para que agora Dilma Rouseff se veja como oposição e se defenda livremente. Agora é a vez do Partido dos Trabalhadores voltar à sua origem e novamente começar a fazer o que fazia bem no começo: Lutar de verdade pelos direitos do brasil.

A sexta feira 13

Com certeza demorará muito tempo para que essa sexta feira seja esquecida. Foi hoje o principal alcance -senão o único objetivo- da operação Lava Jato, responsável por verdadeiras rupturas no país ( sociais, econômicas, políticas e financeiras ) desde a posse de Dilma Rousseff anos atrás.  Esse será um texto bem breve, não ainda sobre o episódio e o seu desenrolar,  pois ainda é imatura e precipitada qualquer declaração sobre o desfecho do assunto.  Mas gostaria de pestanejar sobre algumas reflexões que me peguei lambendo durante o dia ( contém ironia ):

1) Por que não deixavam a PF agir antes?
●Antes não tinha corrupção.  Todos os escândalos que vemos hoje apenas começaram pq o Partido dos Trabalhadores tomou a posse.

2) Lula e a presidente Dilma conseguiram – sozinhos – afundar a Petrobras;

•Sim, sozinhos provocaram impacto mundial na economia. 

3) É claro que um impeachmeant resolve tudo e acabamos com a corrupção;

• Depois que o PT sair do poder e  perder autonomia é óbvio que a oposição volta a investigar a corrupção. Igual era antes do PT. Não é mesmo?

A saúde de Uberlândia respira com ajuda de aparelhos

Texto de Douglas Alves

A Secretaria Municipal de Saúde tem como principais atribuições formular e coordenar a política municipal de saúde e supervisionar sua execução nas instituições que integram sua área de competência, em coordenação com o Conselho Municipal de Saúde. Além disso, participa do planejamento, programação e organização da rede regionalizada e hierarquizada do Sistema Único de Saúde – SUS, no seu âmbito de atuação, em articulação com a direção estadual e nacional do Sistema.  Mas o que vemos hoje é uma enxurrada negra e espessa de reclamações consecutivas  sobre o aparente descaso da Secretaria Municipal de Saúde. Seria falta de diálogo com o gabinete do atual prefeito? Ou seria o custo da pasta  e do orçamento – duvidoso – que foi aprovado segundo a LOA.  Em 2016, foi aprovado para a Saúde o montante de R$ 564.481.204,00 ( quinhentos e sessenta e quatro milhões ), o ano mal começou e a chuva de reclamações sobre obras paradas, unidades sem médicos, greves consecutivas, funcionários sem salário e outros infinitos temas que corriam ( antes ) à boca miúda. O atual prefeito trava agora uma guerra fria contra os trabalhadores da saúde na cidade, ele entra na justiça para obrigar os funcionários a voltar ao trabalho. Os trabalhadores entraram de greve por não aceitar as propostas do gabinete do prefeito.

Arte-saude-Uberlandia-17-01-A05
Fonte: Jornal Correio de Uberlandia

 

Uma matéria no Correio de Uberlândia, publicada em 18/Jan evidencia a crise, acompanhe:

A saúde pública em Uberlândia não teve um ano fácil em 2015. Esgotamento de insumos médicos e medicamentos, falta de vagas nos hospitais e de leitos nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), atrasos salariais e até estado de emergência fizeram parte do quadro no ano que passou. Em 2016, com uma demanda crescente e as inseguranças relacionadas aos repasses de verbas da União e do Estado em um cenário de crise econômica, a Secretaria Municipal de Saúde sinaliza a atenção básica como prioridade para melhorar o atendimento à população.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Dario Rodrigues dos Passos, essa é uma alternativa que vem sendo trabalhada ao longo desta gestão e que ainda depende de ajustes e de conscientização. “Grande parte dos problemas da população se resolve na atenção básica e, atualmente, cerca de 80% dos casos atendidos nos pronto-atendimentos das UAIs (Unidades de Atendimento Integrado) são de pessoas que poderiam ser atendidas em ambulatório”, afirmou o secretário.